Friday, September 30, 2011

{Red My Lips}




António levantou-se cedo nessa manhã de Outubro. Não era madrugador, mas os primeiros raios de sol convenceram-no que talvez tão cedo não houvesse outro dia assim. Arrastou o peso que trazia no corpo pelo corredor e de olhos colados ao sono procurou o botão da máquina do café. Porque só havia vida para lá de um bom café. Sentou-se no sofá da sala e ali ficou, tranquilo, à espera que o corpo desse sinais de vida, focando aos poucos os quadros das paredes, o rádio dos anos vinte que tinha pertencido aos avós dos seus avós - que não havia conhecido, claro - o Santo António que a sua mãe lhe havia dado no dia do seu santo, o disco preferido do seu pai que este lhe tinha dado num dia qualquer, e tantas e tantas coisas que juntara ao longo de uma quase-toda-a-vida. Gostava de coleccionar coisas, de tocar nos livros e nos discos, do cheiro a vida que os objectos ofereciam à casa. Pôs um disco e ouviu "I think I wanna die, if you don't stay..." e explodiu num sorriso por saber que estava preso à vida que lhe tinha sido oferecida. E quando ouviu a palavra "pai" ao fundo do corredor, recordou mais uma vez que a vida lhe tinha dado tudo. Hoje? Hoje era mais um dia qualquer daqueles que se agradecem.

Someone Still Loves You Boris Yeltsin - I Thin I Wanna Die

No comments: