Sunday, April 28, 2013

RMX

You will only know the future in the present...

Wednesday, April 24, 2013

Cartas do Anónimo

Decidir. Uma acção ou uma escolha? Se muito olharmos o problema, nunca dele sairemos. Podemos estar inclusivamente perante um não problema. Apenas uma decisão por tomar. Estruturada ou descabida, uma decisão só é quando há um resultado. E se muito olharmos para os resultados, poderá não haver mais decisões. Mas como dizia Tennessee Williams, "há uma hora de partida, mesmo quando não há lugar certo para ir." Nem tudo é matemática...

Sunday, April 21, 2013

(Red My Lips)

Quero ser feliz. Vem inteira para a minha vida. Faz de mim tudo e um Homem. Os minutos são inflexíveis. O tempo é imperdoável. Faz da tua sabedoria o nosso futuro. Eu vou contigo... "Claro que vou. Toda. Para tu fazeres da tua alegria o nosso futuro. Tenho muita vontade de te ter junto a mim. Quem me dera estar agora aí para te receber... É inevitável."

Thursday, April 11, 2013

Been There Done That #Toro Y Moi#

Por ocasião e feliz coincidência, aquando da minha estada agora em Buenos Aires, tive a oportunidade de ver e ouvir o último álbum do americano Toro Y Moi. Depois de uma penosa e longa espera de uma hora, em pela avenida Coronel Niceto Vega, na zona de Palermo Viejo, lá se abriram as comportas do Niceto Club. A expectativa era alta e em pouco mais de 30 minutos, a sala de espectáculos/discoteca encheu-se, sobretudo de jovens cosmopolitas. Eles com cortes de cabelo modernos, e elas a ostentarem calçados revivalistas e muita ganga. Estava montado o cenário. Agora só faltava o cabeça de cartaz. Antes, escutámos o som de uma banda local que, ao que parece, já têm alguns seguidores. Um quinteto bastante sofrível a apresentar temas coesos e com bom groove, a fazer lembrar algumas coisas de Frankie Goes To Hollywood. E a seguir, finalmente, Chazwick Bradley Bundick! Um dos grandes embaixadores do Chillwave. Acompanhado por três excelentes músicos, na bateria no baixo e na guitarra/teclas, Toro Y Moi deu um belo concerto. Um punhado de músicas do primeiro e segundo trabalho, e um maior ênfase ao terceiro "Anything In Return" de 2013, foi a receita que Chazwick resolveu trazer para Buenos Aires. Funcionou. Aliás, diga-se de passagem que funcionou até muito bem. Apesar deste último álbum não ser tão acelerado, os novos temas, apoiados em hits dos álbuns anteriores, revelaram-se muito agradáveis e frescos. Prova disso foram os picos de êxtase que o público mais jovem demonstrou ao inflamar, com saltos e gritos emocionados, o miolo do Niceto Club. Em suma, excelente viagem, óptima surpresa. Foi caso para se dizer: Dale Dale Toro!!!

Saturday, April 6, 2013

RMX

Una hora más, una hora menos, lo que sea. La velocidad del sonido es demasiado rápido para que todo lo puede ser en el mismo lugar al mismo tiempo...