Wednesday, October 22, 2008

{Red My Lips} Os Pontos Negros

Venho aqui mostrar a minha indignação perante tanto histerismo à volta dessa banda que dá pelo nome de Os Pontos Negros.
Não que eles sejam maus, porque até se ouve, mas o que me transcende é a exaltação exacerbada da sua música. A meu ver não acrescentam grande coisa e não têm propriamente qualidades que cheguem para fazer jus a tanta publicidade, e da boa. Senão vejamos:

Começando pelo príncipio, o nome - Os Pontos Negros – não foi uma escolha propriamente feliz, não é meninos? Dizem eles que é para fazer o contraponto com as white stripes. Mas porquê? É que sabemos o que são pontos negros e são nojentos, inestéticos e espremem-se. É daquelas coisas que ninguém deseja, por isso, ao primeiro impacto ningém vai gostar!

A Música. São uma banda de rock, com guitarradas iradas e uma bateria bem presente, até com uns laivos de punk, mas a voz é muito fraquinha e não canta propriamente bem. Vai falando enquanto tentar acompanhar o ritmo da música. Dá a sensação que ainda não passaram de banda de garagem, ou de igreja neste caso específico! As letras não são nada de especial – rimar lili com ali e saber com perder não deixam de ser lugares comuns e fáceis! Já para não falar que sofrem um bocado do síndrome da- letra- grande- demais- para- a- música. Cantam em português, sim senhor, e dizem que esse é o segredo do sucesso.

São de Queluz e fazem questão de referir sempre isso. É assim tanto motivo de orgulho?

Enfim, ainda não percebi porque, de repente, se tornaram na esperança da música portuguesa, mas o facto é que são elogiados por todos os grande vultos da nossa praça. Será a força da igreja baptista a chegar de mansinho a todos os sectores da sociedade? Sim, porque como se não bastassem os Pontos Negros também já anda aí outro rapaz que dá pelo nome de Tiago Guillul que tem a mesma escola!

Será um plano maquiavélico para a igreja baptista tomar conta do mundo?
Os Pontos Negros, Conto de Fadas de Sintra a Lisboa

5 comments:

Leididi said...

É isso mesmo Alminha!Diz-lhe das boas!!Cambada de meninos!!Este conto de fadas é mt ao estilo dos Legião Urbana, uma banda de rock brasileira que já não existe devido à morte do vocalista, que por sinal, cantava mt bem. Se a razão do histerismo á volta dos Pontos negros é só o facto de cantarem em português, então é muito triste. A identidade nacional não fica em risco por se cantar em inglês. Também os acho fraquinhos fraquinhos e já não posso ouvir falar deles.

Anette said...

Eh pá, eu acho que tens razão em muita coisa menos na parte em que achas que se repetem muito ao dizerem que são de Queluz. É que eu cresci lá... viva a Gália!

R2D2 said...

Anette,
O problema não é bem eles serem de Queluz, ou Gália se assim o dizes, é mesmo eles serem farçolas.
Vai aparecendo.

Cristiana said...

Gostei muito da tua apreciação acerca dos .'s negros!
Não são lá grande coisa depois de bem expremidos!

Happinêss said...

Pois eu cá gosto bastante. Como não gostar de uma banda que tem uma música com o nosso nome?
O rock português precisa de mais intervenção, ele parece estar a definhar, são precisos mais pontos negros, mais bandas que cantem histórias do século XXI como a história desta música.

Esta música cantada em inglês, seria Strokes, Killers ou outra banda qualquer, e aí, sim, já se aplauderia de pé.

Em relação ao nome, come on... querem traduzir uns quantos títulos de bandas "estrangeiras"?
"macacos do árctico"? "os derrame cerebral"? "os gestão (mgmt)"?

Antes pontos do que buracos =)