Wednesday, November 14, 2012

Cartas do Anónimo

As ilhas são um fenómeno geológico e estranho. São buracos no mar que resolvem furar a superfície da água, à procura de sol directo. Nós, os humanos, que temos uma coisa que se sabe ser consciência, também somos ilhas. Bocados de terra que se levantam da base da ilha onde andamos. Eu sou um prolongamento, à superfície, da terra que piso. Alguém que me passa é outro continuar, com volume diferente. Indefinidamente, tal como à tona dos mares, maiores ou mais pequenos, continentes ou arquipélagos, não passamos de erupções à procura de sol directo. O mundo não tem princípio nem fim. Tem voltas que às vezes passam pelos mesmos sítios. Não andamos na água. E mesmo que o fizéssemos, passaríamos a ser mais uma ilha. Única. À procura do sol directo...

4 comments:

Gabriela said...

Pensei que tinha as colunas do computador avariadas.

ESTE ROBOT ESTÁ A ENLOUQUECER-ME

Anonymous said...

Outro/a anonymous: Bem, é profunda... Tão profunda que até está difícil de atingir!!!

ANÓNIMO said...

Olá Outro/a. Sim, eu às vezes entro em transe linguística. Obrigado pelos comentários!

Anonymous said...

Outro/a anonymous ;o)