Wednesday, October 31, 2012

Cartas do Anónimo

Há poucos momentos da nossa vida em que escolhemos o nosso destino. O resto são somas de fragmentos sobrepostos a outras casualidades... Entrou dentro de casa e fechou a porta, depois de mais um dia de trabalho sem futuro. Triste, poisou o livro que comprou há dois dias e que ainda não começou a ler. Tem outras vontades. Pensa em outras aventuras e está cansado de viver nas folhas de outros. Poderá ele ter-se perdido dele próprio. Deixado os encantos a um canto da sala de espera, onde espera todos os dias, à noite, que as coisas mudem. E elas teimam e não mudam. Janta um resto qualquer e senta-se em frente à coluna para ouvir o último disco que comprou. Ouve metade e desliga tudo. Volta a vestir-se e pega nas chaves da mota. Decide decidir. Não aguenta mais estar à espera que os deuses se lembrem do seu destino. Hoje à noite vai ser diferente.

2 comments:

Anonymous said...

Vruuuuum. O Anónimo está a precisar de um abanico. De um convivio xukebox.
Surpreendido dois dias seguidos, eu anonimous - Led Zeplin? Tu? És o mesmo Anónimo que nos outros dias?
Nao esperes. Esperar é uma solução ingrata e preguiçosa. Vruummmm

Anonymous said...

Outro/a anonymous: Vruuuuuuuuummmmmm!!!! ;o)