Saturday, November 13, 2010

Been There Done That | Interpol Campo Pequeno 2010

Nota: por mais que escreva será insuficiente para reproduzir o que se passou ontem em Lisboa. Antes do planeta o astro. Um grupo de cinco muito jovens americanos da costa este desfilaram perante uma quase já multidão. As atenções repartidas entre o vocalista/guitarrista universitário e o "Frank Zappa" das teclas fizeram-nos temperar por momentos a ansiedade de ver a subida a palco dos magnânimes (perdoem-me a expressão mas é verdadeira que se farta) e indestrutíveis INTERPOL. Foram quarenta e cinco minutos estridentes mas ao mesmo tempo bastante inocentes. "Swim", a fazer o desfecho deixou uma brisa considerável de esperança e vontade.

A seguir, passados 30 longos e penosos minutos vem "Success". O som límpido e moderado do quinteto nova-iorquino começava então a crescer, encher almas e a arrebatar vozes de concordância. Mais simpáticos que nunca, poucas palavras mas alguns obrigados sentidos, a viagem por uma década gloriosa tinha início. Quatro discos, muitos desejos cumpridos outros por cumprir. Bom bom bom. Tudo bom. Irrepreensíveis na técnica, nem a reverberação de bateria cirúrgica de Fogarino quebrava o elan. Tudo bom, inclusive a incursão pelo novo trabalho homónimo. Talvez "Barricade" pudesse ter ficado apenas no disco mas, enfim, ao lado de tudo o resto não passa de uma barricada facilmente transponível. A voz de Paul Banks sem tréguas continuava a encher a praça de sonhos. Foi até ao último minuto. O último mergulho, uma apneia para sempre. sempre que eles não nos cantem ao ouvido as histórias trágicas e belas da vida para lá da vida... Lágrimas para eles.


Interpol, Stella was a diver and she was always down

No comments: