Wednesday, September 8, 2010

Cartas do Anónimo


Ia à boleia. Boleias cronometradas, porque não deixava de ser uma corrida e uma prática que aperfeiçoei durante vários verões. Melhorar tempos. Esta música também fazia parte da sequência certa e garantida. E mesmo a saber dançava-la como se não soubesse...
Não me lembro de todos os verões que já acabaram. Nem tão pouco de todos os seus amores. Memória selectiva. Esta música. E sem dúvidas, o amor de sempre apareceu na primavera. O próprio.

Journey, Don´t Stop Believing

No comments: