Wednesday, May 5, 2010

Cartas do Anónimo


As palavras não são tudo. Com tantas que temos no nosso armazém, podemos escolher as menos próprias. E depois vem a bronca. O diz que disseste mas eu percebi foi o outro. Depois tentamos remediar. Como? Com mais palavras. A juntar à primeira confusão mais um chorrilho de desvios e sinais vermelhos à queima roupa. Que chatice! Passam umas horas, uns dias, e voltam os pedidos de explicação. As palavras ficam. Gravadas na memória. Escolhemos outras e as coisas correm ligeiramente melhor. Mesmo assim, para pratos limpos ainda faltam umas migalhas que, claro está, com o tempo vão ganhando pior cara. Será que não há outras soluções? Dar um passeio na praia, ir ao cinema, jantar com uns amigos e ver uma série de televisão norte americana, ir comprar um livro, correr junto ao rio, limpar a casa...

SILÊNCIO!!!

É de ouro. Não complica. Limpa.


Solvent, Loss For Words

2 comments:

Paula said...

Texto excelente, meu caro Anónimo. A opção limpar a casa, vá, podia ser dispensada, mas de resto... tá tudo lá.

ANÓNIMO said...

Bom, eu também não sou apologista de limpezas... Mas diz que descontrai. Será que as empregadas domésticas são todas zen?