Wednesday, March 3, 2010

Cartas do Anónimo


E se o mundo não fosse redondo?
Onde as linhas não desapareceriam para lá do inatingível


Dobradas pela força raquítica da inexorabilidade física?
O que seria dos taciturnos destinos estrangulados por vincos cinzentos?

E se as coisas não andassem às voltas?
À volta de si mesmas
Detrás para o princípio e de seguida para o meio de nada
À espera de outra teoria com ares de doutrina?

E se por um acaso ao virar da esquina
Faltasse um degrau onde assentar a gravidade imprevista
Para não escorregar em terra sinistra
Sem pão nem um pouco de coração?

E se o mundo voltasse a não querer ser redondo?
Sairiam dos quartéis soldados inflamados
Guerreiros das oblíquas achatadas com lanças nas pontas
Sempre prontas a fazer da história um rolo enredado?


Deixai-o rodar até ele não parar...


Son Lux, Break