Tuesday, February 16, 2010

Oldies & Goldies



Começar uma carreira assim era revelador. De que não seriam apenas um projecto mas sim parte viva da história do rock alternativo. Script Over The Bridge foi o primeiro registo longa duração da banda de Manchester que nasceu das cinzas do pós-punk. Gravadas em 1983, no espaço de um mês e meio, as doze músicas que compõem esta obra-prima têm vindo constantemente a acompanhar a actualidade.


O seu registo atmosférico e ao mesmo tempo enigmático preenche as memórias de uma adolescência teatral, intensa e melancólica. Descobrir nessa altura uma banda com esta dimensão musical foi aterrador. A forma mágica como os Chameleons construíam a sua linguagem deixava-me em profunda hipnose. Em delírio fui alicerçando a reverência pela estética e contaminei-me até ao último estado de vigília pelo manifesto de sedução. Hoje, hoje sou o mesmo. Com os mesmos pensamentos, apenas mais velhos, quando volto a ouvir as músicas que me ajudaram a aprender a ser…


Chameleons, Don't Fall/Here Today

4 comments:

Azelpds said...

Adoro este álbum também e ouvi-lo na altura, quando o género estava ainda a começar e éramos tão novos, é um impacto muito diferente de facto, impossível de descrever sem estarmos 'lá'. :)

ANÓNIMO said...

As coisas às vezes não acontecem por acaso... Depois de ouvir o teu tema de Slowdive achei que não podia adiar nem mais um dia a minha homenagem aos Camaleões. Obrigado pela inspiração e parabéns pelo "Projecto".

Azelpds said...

Oh obrigado eu pelas palavras. :)

O mais curioso, é que mesmo com o contexto diferente, estas coisas por vezes ainda parecem fazer mais sentido agora, quando as ouvimos e apreciamos com outros olhos/ouvidos.

Ouço uma 'Second Skin' ou 'View From A Hill' deste álbum e os meus pêlos arrepiam-se na mesma, talvez de outra maneira agora, tal como com a faixa dos Slowdive ou outras.

Mas no campo dos Chameleons, apesar de serem algo diferentes, faço agora culto dos Black Swan Lane, que têm na sua formação, entre outras pessoas, o Mark Burgess e têm assim qualquer coisa na sonoridade muito própria daqueles tempos de outrora, que por muito que tentem, as bandas novas não conseguem replicar. :)

ANÓNIMO said...

Concordo plenamente. Também gosto dos Black Swan Lane. Por vezes fazem-me lembrar os Ride, outra banda que me surpreendeu bastante na altura. Claro que os Red House Painters e Echo and the Bunnymen estão muito presentes. Mas de facto não há nada como os oldies. Por todas as razões ;)