Saturday, December 5, 2009

Guest Box

O espaço que se segue é da inteira responsabilidade do Pedro Rolo Duarte

Apaixonei-me pela música de David Sylvian no tempo dos Japan. Havia qualquer coisa de profundamente romântico e ao mesmo tempo visceral naquelas composições, e percebi que essa mistura provinha da figura de David Sylvian. Quando começou a carreira a solo, tornei-me admirador confesso. Não me lembro de antes nem depois ter tido este sentimento de admiração incondicional por quem quer que seja. Algures nos anos 80 fui surpreendido por uma paixão inesperada na minha vida. O primeiro filme que vi com essa... bom, com essa rapariga, éramos miúdos, chamava-se “Merry Christmas, Mr. Lawrence” – e nesse filme entrava David Sylvian e estava lá esta canção que escolhi. Achei que era um sinal que não devia desprezar. A canção, as canções de David Sylvian acompanham-me desde aí como um livro de cabeceira. Quando veio a Portugal, há 6 anos, comprei 3 bilhetes para a plateia do Coliseu. Queria estar sozinho, e à vontade, sem ninguém ao lado. Sentei-me no lugar do meio e ouvi ao vivo as canções da minha vida. Como esta.

David Sylvian & Ryuichi Sakamoto, Fordidden Colours

2 comments:

Anonymous said...

Amigo Pedro, ainda me lembro de si num programa nas manhãs de sábado na Rádio Comercial "Só com Gelo" (tudo isto, se não me falha a memória), e fiquei logo com a ideia que, para além de uma grande voz, tem tb um excelente gosto musical. Esta canção é, de facto, fabulosa. Seria engraçado passar uma noite a dançar no Incógnito / Music Box, com o Pedro a cruzar discos...
Um abraço. Paulo

ANÓNIMO said...

O que me deixa devéras invejoso são os dois lugares de margem... Que ideia genial! Acho que vou seguir o exemplo. Abraço