Wednesday, November 18, 2009

Cartas do Anónimo


Esta semana tem sido uma semana Rock & Roll. Ver filmes de lendas do rock, ir a lojas de instrumentos, arranhar um bocadinho no Guitar Hero 5, ver modelos e preços de guitarras míticas na net, enfim, disparates de sonhador. Para ser honesto, sempre quis ter uma banda de rock. Sair do trabalho e ir aos ensaios, falar sobre música, fazer música, rir, fazer mais um bocadinho de música e acabar a noite a falar de música (e no outro dia se possível chegar atrasado ao trabalho).
De quando em quando toco o meu baixo tosco e rudimentar, e sempre que estou em “palco” sinto-me o maior! Verdade. Sinto-me um autêntico guerreiro da esperança! É um sentimento em tudo semelhante ao de estar a beijar a mulher mais desejada do planeta. Um êxtase próximo do orgasmo mas sem a responsabilidade do acto. Uma bebedeira que deixa bolhas nos dedos, tal é o descontrole. Mas falta-me a disciplina. Careço de método. E para se ser qualquer coisa tem que se ir muitas vezes ao desespero. Sair dele e voltar lá passados dois acordes ao lado. Numa palavra: puta que a pariu. Admito. Invejo todos os que conseguiram passar a barreira do “acho que não vou ser capaz”. É de facto um privilégio.



The Black Keys, The Girl Is On My Mind

4 comments:

R2D2 said...

Anónimo,
Não desesperes, pá... o que custa são os primeiros 20 anos, depois é sempre a curtir.
Força!

R2D2 said...

Áh, e já agora... Isto é muito Jimi Hendrix, não achas?
Eu sei que não passáste pelo velho Jimi, mas também sei que, ainda assim, dentro desse teu handicap, és tipo para reconhecer.
Não, não é Ben Harper, é mesmo antes disso, mesmo ali na fonte onde o Ben foi beber, quem vai pelo Largo do Rato e sempre a descer até Seattle.

Strayavat said...

épa se foste ja tocar com o johny (arrabaça) ja teves ter levado pouco na cabeça deves...xD


cumps

Alex said...

Temos só de praticar ó anónimo. A esperança é a ultima a morrer. Desistir é um verbo que não faz parte do nosso dicionário.

LEduck