Saturday, October 24, 2009

Guest Box


O espaço que se segue é da inteira responsabilidade de JJT

E se Gagarin não olhasse, não.

Não visse o azul terra

donde outros vêem o céu.

E se Gagarin não fizesse de espanto

um abrir de boca.


O silêncio continuo.

E se Gagarin não sentisse a terra a girar sobre si própria

e o silêncio enrolar-se lá longe nas vagas.

E se Gagarin não existisse sequer

num dicionário novo e pronto-a-ler

comprado num alfarrabista qualquer, pouco antes de partir.

E se Gagarin não fosse palavra. Sequer.

Sobrava apenas um tom base para uma música de fundo.

Azul.

Como a terra naquele dia cedo.

Esbjörn Svensson Trio, From Gagarin's Point of View

3 comments:

Anonymous said...

muito, muito bonito.

Mariana said...

Obrigada por trazeres a poesia a este blog. és sempre uma inspiração!

Antígona said...

Que bonito! Preciso de mais destas :) ajudam-me a trabalhar. :)